Variedade
Comentários 2

Relato do meu Parto

Olá meninas,

Como algumas pessoas tem me perguntando, hoje venho contar para vocês todos os detalhes do nascimento do Gabriel. A data prevista para o nascimento dele era dia 11 de Abril (40 semanas), mas no dia 4 de Abril terça feira, uma semana antes, acordei e me arrumei para ir ao medico. As minhas consultas pre natal eram sempre nas terças pela manha. Tomei banho, tomei cafe da manha e quando fui arrumar a bolsa para sair de casa em torno das 8 da manha comecei a sentir uma dorzinha como uma cólica menstrual. Comentei com meu esposo e saímos de casa para ir ao medico. Durante a consulta expliquei o que estava sentindo e começamos a monitorar de quantos em quantos minutos vinha as contrações. Como estavam em um intervalo de 15 em 15 minutos, meu medico me mandou para casa e disse para eu voltar quando as contrações estivessem mais intensas e em um intervalo de 5 a 5 minutos. Fui embora para casa e comecei a arrumar os últimos detalhes da minha bolsa maternidade, ajeitei a casa, fui ao mercado e as dores foram aumentando. A emoção estava a flor da pele pois eu sabia que a “hora” havia chegado. Quando deu 7 da noite eu ja estava sentindo as contrações mais ritmadas e em intervalos menores. Eu queria ficar mais tempo no conforto da minha casa, mas resolvemos ir ao hospital pois la poderíamos estar monitorando o coraçãozinho dele. As 8 da noite chegamos no hospital e estava tudo certinho com o Gabriel mas eu estava com somente 3cm de dilatação (10 é o máximo). A enfermeira disse que como minhas contrações estavam ficando cada vez mais intensas que era melhor eu ja ficar no hospital. Fomos então para minha sala de parto onde optei por não receber nenhum medicamento para dor e nem a anestesia. Queria ver ate quando meu corpo iria aguentar e queria muito que tudo fluísse naturalmente.
Foram longas horas de contrações ao lado do meu esposo me dando força para continuar. Dores que vinham intensamente e que me faziam querer desistir, passava por poucos minutos e voltavam com mais força ainda! As 3 da manha eu ja estava exausta, a minha dilatação tinha chegado a somente 4cm! Foram 7 horas (das 8pm as 3am) e eu havia dilatado somente 1 cm! Ja estava perdendo minhas forças e depois de muita ansiedade e medo tive que tomar a decisão de optar pela anestesia epidural. Fui aconselhada pela enfermeira mas a decisão cabia somente a mim e eu ja não aguentava mais de dor. A anestesia foi aplicada e logo comecei a sentir um alivio. As contrações vinham com a mesma freqüência, mas agora a dor estava amenizada pelo efeito da anestesia. Consegui tirar um cochilo e as 5 da manha o medico anunciou 7 cm de dilatação! Tudo indicava que o Gabriel ja estava em posição e a enfermeira avisou que em algumas horas entraríamos na fase ativa do parto (tentar empurrar). O efeito da anestesia começava a desaparecer aos poucos e por volta das 10 da manha da quarta feira eu ja estava com 10 cm! Alegria, emoção e uma sensação difícil de explicar: estava chegando a hora de conhecer meu príncipe!
Por volta das 11 começamos o trabalho de parto, a cada contração era uma tentativa de fazer ele descer. Tentamos, tentamos e focamos todas as forças na tentativa de fazer ele girar mas ele estava virado de costas e não estava desvirando. Foram 3 horas de tentativa acompanhada por ótimos profissionais, meu esposo e minha cunhada me dando aquela força para continuar. Mas essa não era a vontade de Deus. Foram muitas horas de tentativa e tudo indicava que Gabrielzinho não iria virar para a posição correta e por ser um baby grande naquela posição ele não passaria pelo meu colo do útero. O que nos deixou com somente uma opção: a cesaria! Confesso que foi um momento de frustração, afinal não estava esperando por isso. Mas ao mesmo tempo veio um sentimento de proteção e naquela hora eu só queria que meu filho nascesse com saúde. Fui transferida para a sala de cirurgia e as 3 horas da tarde de 5 de Abril nasceu meu menino com 49cm e 3.611 quilos.
Um momento único e inexplicável! Um amor incondicional que não cabe dentro da gente! Agora entendo o que todas as mamães me diziam 🙂 Na sala de recuperação eles trouxeram meu pequeno para os meus braços. Tivemos um momento ali eu e ele, aquela coisinha pequena e inofensiva, um amor sem fim. Horas depois meu leite desceu, tive a experiência única de amamentar aquele ser que cresceu dentro de mim. Momento único e emocionante. So tenho que agradecer a Deus pelo presente da vida e por ter ocorrido tudo bem comigo e com meu pequeno. Sei que meu desejo de ter o parto normal não foi possível mas Deus sabe de todas as coisas e agradeço todos os dias pela vida do meu filho!

 

2 comentários

  1. A vida ensina tantas coisas pra gente que temos a sensação te termos vivido todos os tipos de experiências possiveis.
    Porém, após ler este relato senti que nunca havia passado por uma comoção euforia e alegria tão grande em minha vida.
    Saber que tenho uma filha linda que me deu um neto lindo e abençoado como os que já tenho me faz sentir um orgulho sem explicação.
    Amo todos Mathias, Antonelli, Rafaella e o nosso Caçulinha Gabriel.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s